sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Sentinela do Pampa



Quero-quero – A Câmara é o BichoQuem morou no campo teve muito atrapalhos com esse bicho. Sempre assustando a gurizada que corria pelos campos. Com seu voo rasteiro, parecia que ia pegar nos cabelos, sentia o vento do bater das asas, era uma gritaria. "Sai pro diabo escumungado". Assim era o quero quero.
Uma ave que habita campos abertos e defende seu ninho com voos rasantes. Seu canto estridente, ouvido sempre que algo diferente surge no local em que vive, faz que seja conhecido no sul do país como a “sentinela dos pampas”.
Um guarda dos campos, embora às vezes ele também possa ser incômodo.
O Vanellus chilensis, nome científico do quero-quero, também é conhecido como tetéu, téu-téu, terém-terém e espanta- boiada e pode ser encontrado em toda América do Sul e Central. A maioria dos nomes comuns da espécie são onomatopéias do seu canto. Alimenta-se de sementes, artrópodes, moluscos, insetos e peixes. Para pescar, usa técnica semelhante à das garças: agita a lama com as patas para provocar a fuga de suas presas.
Sua cor predominante é o cinza-claro, com detalhes pretos na cabeça, peito e cauda. A barriga é branca e a asa tem penas verde-metálicas. A cabeça é enfeitada por um penacho, enquanto as pernas e o bico são vermelhos. Na dobra de cada asa, possui um esporão ósseo de cerca de um centímetro de comprimento, usado para desencorajar rivais da mesma espécie e predadores. O macho é menor do que a fêmea.

As fêmeas colocam de três a quatro ovos em uma cavidade no solo. O quero-quero defende então seu ninho com valentia ou passando-se por um animal ferido, atraindo os predadores para longe do local. Seus ovos são manchados, de modo a serem confundidos com o solo, e têm o formato de pêra ou pião, o que faz com que não rolem lateralmente, mas sim sobre seu próprio eixo.


 

Uma lenda conta que quando a Sagrada família fugiu do Rei Herodes, muitas vezes precisou se esconder no campo. Em uma dessas ocasiões, Nossa Senhora pediu a todos os bichos que fizessem silêncio, para não chamar a atenção dos soldados. Todos acataram o pedido, menos o quero-quero, que queria muito cantar e repetia: “Quero! Quero! Quero!”. Nossa Senhora lançou então sobre ele um encanto e a ave ficou ‘querendo’ para sempre.

Ficha do Bicho

Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Ciconiformes
Família: Charadridae
Subfamília: Charadriinae
Nome científico: Vanellus chilensis
Nome popular: quero-quero, te-téu, espanta-boiada, te-téu-da-savana, sentinela-dos-pampas
Na Câmara: na áreas verde do Complexo Principal e da Residência Oficial; no Parque Bosque dos Constituintes

                 Até a próxima...

2 comentários:

  1. ola, vi o seu blog no perfil de outra pessoa e decidi visitar para conhecer seu espaço, adorei imenso.. voce não quer vir visitar meu espaço?? http://assombrado-mc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. .


    Você pode ter gostado da minha
    escrita, mas quando leu o tex-
    to não sentiu o mesmo que eu
    senti com o seu comentário. E-
    le foi doce, bonito e gentil.
    Fiquei todo bobo, se você quer
    saber.

    Um beijo,

    Palhaço Poeta






    .

    ResponderExcluir